segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Por que sou contra o movimento feminista!

Por que sou contra o movimento feminista!
Texto do Blog Templo Jovem.

O movimento feminista surgiu no século XIX para o XX, mas foi em 1960 e 1970 que ocorreu um grande crescimento e daí para frente a coisa só cresceu e cresceu e tomou proporções exageradas, para não dizer fora do normal!
Bem, como homem, creio que muitas feministas poderão me julgar, porém há certas coisas (ideais) por trás deste movimento, que estão muito além de luta pela “dignidade da mulher”, andando para um condão de uma libertinagem desenfreada.

Eu sou um tremendo de um defensor da mulher, mas, sou contra esteve movimento e mostrarei o porquê.

Este movimento, pelo que vemos hoje em dia, não defende a mulher, como pessoa, mas, “direitos” que posso dizer que não são direitos e sim, algo devasso e contrário o que este blog prega, a Bíblia.

São coisas que o movimento feminista prega que ferem os princípios bíblicos:
O direito da mulher abortar por escolha própria; direito a autonomia do próprio corpo; apóiam os grupos homossexuais, principalmente, os voltados para a causa das lésbicas; e, tentam inserir na mente e na cultura das mulheres, que elas não precisam dos homens (uma independência, ou auto-suficiência).

Estive pesquisando e pude constatar que este grupo é em grande maioria (desde o início) formado por lésbicas. Note que sempre há ligado ao termo “feminista” algo indicando que as mulheres não necessitam dos homens, que podem ser líderes de si mesmas, que são superiores e por aí vai.

Caro leitor, peço que reflita, se isto, é ou não uma mentalidade de apologia ao lesbianismo!? As feministas pegaram algo que realmente deveria ser combatido (o machismo) e levaram outras coisas junto.
Por exemplo, é óbvio que a violência contra a mulher deve ser extirpada, que a mulher tem direito a ser um cidadão ativo (politicamente falando), que devem ser protegidas contra abusos sexuais e coisas do gênero! Esta é uma luta que muitos homens defenderam e mulheres, que não eram feministas, também defenderam.
O que o movimento feminista fez, foi pegar isto que é algo certo (que até a Bíblia sanciona) e juntou com algo completamente fora do padrão certo (aquilo citado no quinto parágrafo).
Estes dias vi um psiquiatra, que estuda o crime na sociedade, falando sobre as causas. Quando o vi falando achei que era evangélico, pois, ele falou tudo que pensava e que está na Bíblia. Porém, ao final ele disse que não tinha religião, mas, que a Bíblia tem um padrão certo de criação dos filhos e uma FORMA CERTA DE FAMÍLIA, ou seja, os deveres do homem para com a mulher e vice versa. Dá para perceber que até o ímpio está tendo um esclarecimento que, a Bíblia está certa em seus mandamentos e as posições que homem e mulher tem, um para com o outro.

Deus na formação da humanidade, fez um para o outro (homem e mulher), um dependente do outro, em outras palavras, um COMPLETA o outro.
Há vários textos bíblicos mostrando, como deve ser o tratamento de um com o outro, bem como os deveres, posições, como agir um com o outro, a criação dos filhos, amor, respeito e muitas outras coisas. Posso citar referências, como as de Gênesis 1:27-28; 2:18-25; 1 Coríntios 7:2-39; 11:3-12; Efésios 5:28; 5:31; Colossenses 3:19; Tito 2:4; 1 Pedro 3:1 e 3:7.
Vou para o ponto que acho mais importante e que até o psiquiatra concorda. O feminismo tenta por diversas vezes, ANULAR a importância da figura do “homem”, o macho, o pai!

Não tem como a humanidade crescer equilibrada se o conceito de PAI e MÃE não for o bíblico!

A figura paterna é importantíssima para criação de um filho. Não existe essa da mãe ser o pai também. Em nossa sociedade isto está sendo convencionado como algo normal, pois, o número de separações está alto. Porém, ainda assim, a figura do pai é importante. Mesmo distante, por causa de uma eventual separação, a presença de um pai é importante.

Tenho visto a autoridade que é do homem (isto é bíblico) sendo usurpada pelas mulheres! Atualmente, as mulheres ou pelo menos uma idéia imposta à elas, estão tendo a filosofia de que são elas que tem que dominar os homens. É algo completamente anti bíblico.

É claro que nestes “tempos pós modernos”, isto pode soar como preconceituoso, irracional e até 'selvagem' ou 'pré-histórico', mas, não é!

O homem é a mulher têm funções diferentes. Somos iguais, porém com funções diferentes. Pela Bíblia, é obrigação do homem ser o líder da casa. É obrigação dele ser o mantenedor dela, o protetor e o professor da vida, para os filhos. Por sua vez, é obrigação da mulher ser uma boa mãe, dona de casa, estar numa missão junto com o esposo, ajudando-o a edificar o lar.

Perceba que o homem ou a mulher podem fazer serviços, que são do outro, sem, contudo inverter os papéis que lhe foram conferidos. É isto que estou dizendo. Vou dar um exemplo:

Não sou contra a mulher trabalhar, mas, não é a obrigação dela sustentar a casa. Se ela trabalha, é uma ajuda. Porém, é função do homem bancar as despesas da família, caso ela queira apenas cuidar dos filhos.

Devemos nos atentar que, tanto um como o outro, possuem características diferentes. Se tentarmos inverter ou anular, acaba dando os problemas, como os que vemos hoje em dia:

- Pessoas que não sabem o que é autoridade;
- Que não sabem o que é o respeito;
- Desestrutura familiar, psicológica e baixa autoestima;
- Problemas no convívio com os outros e aumento de crimes;
- Desequilíbrio social, emocional, sexual.

Estes são alguns exemplos do que a inversão de papéis causa, fora o mais importante, que é a destruição espiritual.
Deus fez e faz tudo perfeito. Nós, como Igreja, não podemos pegar as idéias do mundo, como sendo certas. Aquilo que não for bíblico, deve ser tirado de nossos costumes, por mais arcaicos que o “mundo” ache que somos. Que continue a pensar assim, pois, aquilo que Deus nos ordenou tem um propósito de vida feliz, para cada ser humano.

Para reforçar, o homem deve amar e tratar sua esposa como Cristo amou a Igreja, e a mulher deve amar seu marido e lhe estar como cooperadora como a Igreja está para com Cristo.
Em outras palavras, devemos respeitar uns aos outros, sabendo onde cada um se encaixa, pois é isto que a Palavra de Deus nos exorta.

No mais, que Deus nos abençoe e nos livre desta maré de modernidade exacerbada e libertina que o mundo quer nos impor.



Nenhum comentário:

Postar um comentário