quinta-feira, 10 de agosto de 2017

A necessidade do novo nascimento

A necessidade do novo nascimento

A fidelidade a uma religião nem sempre significa fidelidade a Deus.
Saulo de Tarso é o exemplo clássico disso. Religiosidade e novo
nascimento são distintos. Quando alguém se converte ao
cristianismo, essa pessoa precisa de cuidados espirituais, de um domicílio
espiritual. Assim como um membro do corpo não pode se manter separado
dele, o mesmo é válido para os que foram regenerados pelo Espírito Santo.
Isso significa que todos os cristãos são religiosos, muitos já eram antes, outros
não, mas agora trata-se de uma nova experiência com Cristo. Todos os que são
transformados e regenerados pelo Espírito Santo são religiosos, pois estes são
geralmente membros de igrejas e no mínimo participam dos cultos, fazendo-se
presentes na adoração coletiva. Mas nem todos religiosos são cristãos e,
mesmo pertencendo a uma religião cristã, isso não significa necessariamente
que sejam regenerados.

(SILVA, Esequias Soares da: A razão da nossa fé - Assim Cremos, assim vivemos. Pág. 115. RIO DE JANEIRO. CPAD. 2017)

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Lição desta semana

A Necessidade do Novo Nascimento

Na lição desta semana estudaremos a respeito do novo nascimento (Jo 3.3). O novo nascimento é uma das principais doutrinas da fé cristã e ninguém pode fazer parte do Reino de Deus se não nascer de novo (Jo 3.3). Mediante a fé em Jesus experimentamos uma profunda transformação de vida. Essa mudança radical não é apenas exterior, mas interior. Atualmente há muitos como Nicodemos que não conseguem compreender a necessidade e a importância do nascer novamente. O Senhor Jesus mostrou a Nicodemos, e a nós, que religião alguma tem condição de transformar o homem. Somente Ele pode nos conceder uma nova natureza mediante a fé.
(Trecho do comentário da Revista Lições Bíblicas/CPAD)

A fé salvífica faz do pecador uma nova criatura em Cristo Jesus

LEITURA BÍBLICA DIÁRIA 

“Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é: as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo” (2 Coríntios 5.17).

Quando o ser humano é regenerado, o que acontece é uma ação decisiva e instantânea do Espírito Santo no ser humano. Podemos dizer que ocorre uma nova criação no interior humano.
Chama-nos a atenção a expressão “nova criatura é”. Significa que não “será”, muito menos há qualquer ideia relativizada acerca da natureza do novo nascimento. Simplesmente a pessoa que está em Cristo “é uma nova criatura”. De maneira decidida e espontânea ela foi regenerada pelo Espírito Santo e reconciliada com Deus por intermédio de Cristo Jesus (2Co 5.19). Aqui está a garantia da real conversão, da marca de nova criação. Tal experiência é que traz na vida do novo convertido a certeza de que agora ele está seguro em Deus e nada poderá abalar a sua fé.
(Comentário da Revista Ensinador Cristão/CPAD)

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

O pecado nos separa de Deus

Leitura Bíblica Diária
Quarta — feira



"Mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que não vos ouça". (Isaías 59.2)

Muitas pessoas, aceitam apenas o amor e a bondade de Deus. Porém, ignoram a sua Santidade e Justiça, que não podem conviver com o pecado e exigem a punição deste. Deus é absolutamente Santo e, por isso, o pecado afasta o ser humano de Deus, impedindo inclusive, que as suas orações sejam ouvidas, enquanto estiver na prática do pecado.
Entretanto, através do sacrifício de Jesus Cristo, o Filho de Deus, aqueles que nEle crerem podem ter os seus pecados perdoados e serem reconciliados com Deus.

segunda-feira, 1 de maio de 2017

A FALÊNCIA DO SISTEMA ASSEMBLEIANO DE CAPITANIAS HEREDITÁRIAS E DE FEUDOS



Pr. Altair Germano



Tudo que é criado pelo homem, tem o seu tempo de duração determinado.

O sistema de limites territoriais implantado nas Assembleias de Deus no Brasil, que "orientava" o pastor a não evangelizar e abrir igrejas fora do "seu" Estado ou Campo, parece que já não cabe mais. Ruiu e faliu.

Quer exemplos desta realidade?

1. Já existem no Brasil as Convenções de Ministros das Assembleias de Deus Interestaduais e Interegionais;

2. Várias Convenções Estaduais do Sudeste do Brasil já abriram e continuam abrindo ou apoiando trabalhos no Norte e Nordeste. Estas Convenções não poderão reclamar quando as igrejas Assembleias de Deus do Nordeste começarem a abrir trabalhos no Sudeste;

3. Os limites de campos dentro de um Estado não mais existem em boa parte do território brasileiro. Um exemplo claro é aqui em Pernambuco onde a Assembleia de Deus com sede em Recife abre trabalhos no antigo "campo" da Assembleia de Deus em Abreu e Lima, e vice e versa;

4. Aqui no Nordeste, temos ainda o caso de trabalhos antigos da Assembleia de Deus em Alagoas nos Estados de Pernambuco e Bahia;

5. Temos agora o caso inusitado do Pará, onde o pastor da capital desligou-se de sua Convenção Estadual e filiou-se com os seus ministros (a igreja acaba indo junto) a uma Convenção do Tocantins (interestadual).

Em meio a tudo isto, ainda se briga no Brasil por um pedacinho de terra, ou pelo domínio territorial de grandes "propriedades".

O que há de bom na falência do sistema de Capitanias Assembleianas ou Feudos?

Do meu ponto de vista, ganha o Reino de Deus, quando se parte para abrir ou expandir a igreja do Senhor em lugares onde há uma certa acomodação (por parte do dono da capitania ou feudo) ou dificuldades pertinentes. Há municípios, vilarejos, distritos, comunidades interioranas no Brasil com menos de 1% de evangélicos.

Ganha também por permitir que os crentes tenham a opção de se livrar de alguns jugos pesados, de alguns ditadores e aiatolás da fé, como também de alguns liberais e banalizadores da fé.

Penso ainda que a opção ou a alternativa que uma nova igreja dá, acaba por promover uma melhor e maior atenção do dono da capitania ou do feudo às ovelhas.

O lado ruim, é que muitos abrem igrejas Assembleias de Deus em lugares onde não trabalhavam, com o maléfico propósito de aumentar a sua arrecadação, para demonstrar o seu "grande potencial" expansivo e financeiro, ou por mera pirraça, birra, intriga.

Há aqueles também que saem de seu reduto em razão de cometer pecados dos mais diversos tipos, e por insubmissão, espírito faccioso, etc., para abrir trabalhos longe dos olhares de quem os conhece.

Outro problema são as divisões causadas pela política eclesiástica. Todo mundo que ser presidente de alguma coisa ou de muita coisa. Quando não consegue, se desliga e cria a sua própria Capitania ou Feudo, e diz: aqui ninguém não pode entrar.

O fato, repito, é que o sistema ruiu e já faliu.
É preciso manter um mínimo de bom senso, ética e respeito mútuo entre as partes envolvidas.
É preciso juntar os cacos das amizades e dos relacionamentos que se desfizeram.
É preciso possibilitar que as famílias que foram proibidas de cultuarem juntas voltem a se reencontrar nas igrejas, sem nenhum constrangimento.
É preciso derrubar os muros erguidos.
É preciso revogar as proibições feitas aos obreiros e aos cantores de visitar a "outra igreja".
É preciso ser crente de verdade.
É preciso autoridade para pregar e ensinar.
É preciso viver o verdadeiro amor.
É preciso falar de perdão e perdoar.
É preciso reconciliação.
É preciso reconhecer os erros.
É preciso rever os conceitos.
É preciso ser humilde.
É preciso saber sofrer o dano.
É preciso um novo rumo.
É preciso orar.
É preciso convidar o Espírito Santo para orientar o processo.
É preciso chegar no céu!



Fonte: http://www.altairgermano.net/2009/07/falencia-do-sistema-assembleiano-de.htmlte:

PASTOR ALTAIR GERMANO, professor de teologia, escritor, conferencista,  Vice presidente do Conselho e Educação e cultura da CGADB e
Pastor da Assembleia de Deus em Abreu e Lima - PE.

sábado, 22 de abril de 2017

Como identificar uma seita


A palavra seita, inicialmente, não tinha o sentido negativo que tem hoje. O próprio Cristianismo já foi chamado de seita. (Atos 20.14).
Hoje, no entanto, podemos dizer que seita é um grupo de pessoas que se reúnem em torno de uma interpretação equivocada da Bíblia, ou um grupo isolado, cujos ensinos contrariam as Escrituras.
Para um cristão verdadeiro, que conhece o básico do Bíblia, não é difícil identificar uma seita. Normalmente, as seitas dão ênfase a 'novas revelações', negam a autoridade única da Bíblia, negam a Trindade Santa, possuem uma visão distorcida sobre Deus, sobre Jesus Cristo e sobre o pecado, ou negam a salvação pela Graça e pregam que é necessário fazer sacrifícios para alcançar o favor de Deus.
Há também outras características de uma seita como o legalismo, o exclusivismo, a intolerância, a perversão sexual, o autoritarismo, o dogmatismo, etc.
Para facilitar o nosso entendimento sobre seitas, podemos classificá-las em pequenos grupos, considerando as suas características ou origens em comum:

1) Seitas proféticas: são as que se originaram de líderes que se autodenominam profetas, como Maomé, Charles Taze Russel, Ellen Gold White e Joseph Smith. Neste grupo estão o Mormonismo, Testemunhas de Jeová, Adventista do Sétimo Dia, Ciência Cristã, etc
2) Seitas secretas: Originaram-se de supostas revelações, que somente os seus adeptos teriam acesso. Neste grupo estão a Maçonaria, Teosofia, Esoterismo, etc.
3) Seitas espíritas: Surgiram da busca dá comunicação com os mortos ou espíritos. Entre estas estão o espiritismo kardecista, as religiões afro brasileiras, Legião da Boa. Vontade, Racionalismo Cristão, etc
4) Seitas Orientais: Fundamentam as suas crenças nas filosofias japonesas, hindus e iranianas. São panteístas, ou seja, acreditam que Deus é uma energia impessoal, que se confunde com a natureza. Neste grupo estão a Seicho-no-ie, Igreja Messiânica Mundial, Igreja da Unificação (Reverendo Moon), Meditação Transcendental, Hari Krisma, etc.
5) Seitas Uncistas. São as que não aceitam a doutrina dá Santíssima Trindade e acreditam que as referências ao Pai, Filho e Espírito Santo são manifestações diversas de Deus e Jesus. Neste grupo estão a Igreja Voz da Verdade, Tabernáculo da fé, Só Jesus, Adeptos do nome de Yehoshua, etc.

É importante destacar que não é preciso que uma religião tenha todas estas características para ser considerada uma seita. Se tiver uma delas, já pode ser considerada seita.

Há ainda muitas outras características, que tornam uma religião uma seita, como as seguintes:

1) A palavra do líder ou a tradição tem o mesmo valor da Bíblia;
2) Possui outros escritos considerados sagrados, que são iguais ou superior à Bíblia;
3) Somente o seu grupo detém a verdade. Todos os demais se desviaram de Deus;
4) Não se unem a nenhuma Igreja, mesmo as que seguem à Bíblia;
5) Pessoas, anjos, práticas, ou objetos são usados como mediadores entre Deus e a humanidade;
6) A autoridade e ensinos do líder são inquestionáveis.

Qualquer Igreja que tiver estas características é ou está se tornando uma seita. Vale lembrar que uma Igreja, se não atentar para o estudo sistemático das Escrituras pode se tornar uma seita e uma seita, se começar a estudar as Escrituras com sinceridade poderá se tornar uma Igreja verdadeira
Este é apenas um resumo da matéria Heresiologia, disciplina da teologia que estuda as Seitas e Heresias.

*A fonte de informações foi o Módulo 4, do curso teológico da Faculdade Teológica Betesda, onde estudei.

segunda-feira, 20 de março de 2017

A neopentecostalização da Assembléia de Deus



É doloroso para um assembleiano, ver a Assembléia de Deus se neopentecostalizando a cada dia. Estamos perdendo a nossa identidade de Igreja evangélica pentecostal, simples e que não abusa do dinheiro dos fiéis. Nas questões de contribuição, sempre fomos uma Igreja que falava timidamente sobre dízimos e ofertas, para não constranger os irmãos e para não afastar as pessoas do Evangelho. Os nossos pastores eram pessoas tementes a Deus, que viviam de modo simples, com muitas dificuldades financeiras. Entretanto, há alguns anos esta realidade vem mudando.
No último sábado, participei de um evento para casais em nossa Sede em Osasco, com um famoso palestrante, que diz que 'ama família'. Foram usadas as dependências da Igreja e suas instalações e cobrado R$ 100,00 por casal para participar. Segundo os organizadores, participaram um total de 450 casais, o que daria um total de 45 mil reais.
O corredor do templo, logo na entrada, parecia uma feira de tanta banca de livros, CDs, DVDs e camisetas; na cozinha da Igreja, o jantar era R$ 40,00 por casal e os lanches eram vendidos normalmente, mesmo para os que pagaram para participar do evento. Tudo para ajudar nos custos do evento.
Mesmo assim, o palestrante passou quase uma hora distorcendo textos bíblicos e contando histórias, com o objetivo de arrecadar. Começou pedindo um valor básico de R$ 700,00. Depois, falou que aqueles que não tivessem, poderiam dar 500,00, 200,00, 100,00, até que chegou ao valor mínimo de 7,00. Citou até um caso de 'um irmão' que ele conheceu, que certa vez deu (pasmem!) 5 milhões de oferta.
Isso, com o linguajar típico do neopentecostalismo: semeie uma oferta, terra fértil, liberalidade, fé para ofertar, declaro prosperidade, ato profético, etc.
Ofereceu livros de todos os tipos, inclusive um que fala da herética doutrina da maldição hereditária. Onde vamos parar? Ainda bem que não convidei nenhum casal para participar. Ficaria envergonhado, se tivesse levado um casal não evangélico ou novo convertido para ser submetido a uma manipulação e constrangimento dessa magnitude.

Deus tenha misericórdia da Assembléia de Deus!