domingo, 31 de dezembro de 2017

A esposa é um presente de Deus



“O que acha um esposa acha o bem e alcançou a benevolência do Senhor” (Pv 18.22 ). 

O casamento é uma instituição divina e uma dádiva de Deus. Devemos, portanto, buscar nele a pessoa para nos casarmos, pois, quem encontra uma esposa achou o bem e encontrou a benevolência do Senhor. A esposa é um presente de Deus. Ela vale mais do que riquezas. Seu valor excede o de finas joias. Bens materiais não podem trazer felicidade, mas um casamento feliz é uma fonte de prazer e felicidade. A mulher que Deus dá é um bálsamo para seu marido. A mulher que Deus dá é uma companheira de jornada e não uma concorrente na relação. É uma intercessora amável e não uma acusadora implacável. É uma conselheira sábia e não um perturbadora da alma. Se a mulher rixosa é uma perturbação constante, a mulher amável é um lenitivo para a alma. A mulher que Deus dá é um elo de união da família em vez de ser uma desagregadora de relacionamentos. Ela é como uma videira frutífera que congrega os filhos ao redor da mesa. A mulher que Deus dá é estável emocionalmente, pois ela faz bem a seu marido todos os dias de sua vida. Ela edifica a sua casa e transforma o seu lar no lugar mais aconchegante para se viver no mundo. O homem que encontra essa joia preciosa é bem-aventurado. Portanto, o marido deve cuidar de sua esposa com afeto desvelado, com amor abnegado e com doçura singular.

(Lição 09, do livreto devocional 'CADA DIA' do Pr. Hernandes Dias Lopes publicado pela LPC)

sábado, 30 de dezembro de 2017

Esposa, seja submissa ao seu marido


“As mulheres sejam submissas ao seu próprio marido, como ao Senhor” (Ef 5.22).

A submissão é uma palavra desgastada e vilipendiada em nossos dias. O que a submissão não significa? Não significa inferioridade. Deus criou o homem e a mulher e criou-os à sua imagem e semelhança. Também, a submissão não é de gênero. A mulher deve ser submissa a seu próprio marido e não ao gênero masculino. Submissão ao marido não é a esposa ser desprovida de vez e voz. A mulher não é capacho do marido nem escrava dele. Ainda, a submissão não é incondicional. A submissão da mulher a seu marido vai até onde sua consciência cristã não seja ultrajada. Mas, o que é submissão? É a esposa ter uma missão sob a missão do marido. É reconhecer que Deus colocou o marido como cabeça da esposa, da mesma forma que Deus é o cabeça de Cristo. Não se trata de inferioridade, mas de posicionamento. A submissão da mulher a seu marido é sua liberdade, pois ela deve ser submissa a seu marido como a igreja o é a Cristo. Quanto mais a igreja se submete a Cristo, mais livre ela é. Finalmente, a submissão da esposa a seu marido é sua felicidade e segurança. A igreja é feliz e caminha segura quando se sujeita a Cristo. Fora da obediência o que existe é tristeza e insegurança. Vale destacar que a esposa é convocada a submeter-se ao marido que a ama como Cristo amou a igreja!

(Lição 08, do livreto devocional 'CADA DIA', do Pr Hernandes Dias Lopes publicado pela LPC).

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Marido, viva a vida comum do lar



“Maridos, vós, igualmente, vivei a vida comum do lar, com discernimento…”.(1Pe 3.7).

Pedro destaca quatro cuidados que o marido deve ter com sua esposa:
1) O cuidado físico. “Maridos, vós, igualmente vivei a vida comum do lar”. Essa expressão significa a intimidade física, que proíbe separações desnecessárias, e implica em mútua comunhão de bens e pessoas, com prazer e harmonia.
2) O cuidado intelectual.  “… com discernimento”. O discernimento é fruto do conhecimento. Homem e mulher são dois universos distintos com profundas diferenças físicas e emocionais. O marido precisa “ouvir a esposa com o coração” e falar a verdade em amor com ela.
3) O cuidado emocional. “… tendo consideração para com a vossa mulher como parte mais frágil”. O marido precisa tratar sua mulher com romantismo. É óbvio que Pedro não está dizendo que a mulher é a parte mais frágil em termos mentais, morais ou espirituais, mas sim, em termos físicos. O marido deve tratar a esposa como um vaso caro, belo e frágil, que contém um tesouro precioso.
4) O cuidado espiritual. “… tratai com dignidade, porque sois, juntamente, herdeiros da mesma graça de vida, para que não se interrompam as vossas orações”. Se o marido falhar em amar, honrar e respeitar sua mulher, tal comportamento irá interromper suas orações, pois os suspiros da mulher maltratada se interpõem entre as orações do esposo e os ouvidos de Deus.

(Lição 07, do livreto devocional 'CADA DIA', do Pr Hernandes Dias Lopes publicado pela LPC).

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Marido, ame sua mulher

.“Maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela” (Ef 5.25). 

O marido é ordenado a amar sua mulher como Cristo amou a igreja. Cristo amou os seus e amou-os até o fim. Assim é o amor do marido à sua mulher, um amor perseverante. Não é amar até à primeira decepção, mas amar até o fim, para estarem juntos até que a morte os separe. Também Cristo amou a igreja e se entregou por ela. O amor do marido pela esposa precisa ser sacrificial. Em vez de subjugá-la com truculência, ele deve dar sua vida por ela e estar pronto a morrer por ela. Outrossim, Cristo amou a igreja e a santificou. O amor do marido deve santificar sua mulher. Uma mulher amada por seu marido, sente-se segura e não se fragiliza diante das propostas sedutoras dos predadores da moral. Quando o marido ama sua esposa, ele cuida de sua vida espiritual, pois é um líder servo, que imita Jesus em sua conduta. Quando o marido ama sua esposa, ele cuida de sua vida emocional. A palavra “cuida” em Efésios 5.29 tem o significado de acariciar. O marido deve ser terno nas palavras e romântico nas atitudes. Finalmente, quando o marido ama sua mulher ele cuida de sua vida física. Ninguém jamais odiou a sua própria carne, antes a alimenta e dela cuida. O marido que fere a esposa, destrói a sua si mesmo, mas o marido que ama sua esposa, investe em si mesmo!


(Lição 06, do livreto devociona  l'CADA DIA' do Pr Hernandes Dias Lopes publicado pela LPC)

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

A aliança de amor no casamento



“Eu sou do meu amado, e o meu amado é meu…” (Ct 6.3). O casamento é uma aliança de amor. É o compromisso de pertencimento um ao outro. O marido torna-se uma fonte selada para sua mulher e a mulher torna-se um manancial recluso para seu marido. O amor entre marido e mulher é inviolável. É como um selo sobre o braço e sobre o coração. O selo fala de propriedade, legitimidade e inviolabilidade. O amor entre marido e mulher é sacrificial, pois é mais forte do que a morte. O marido deve amar sua mulher a ponto de morrer por ela e a mulher deve amar o marido, a ponto de viver para ele. Esse amor não é até à primeira crise, mas até o fim. É um amor perseverante. O amor entre marido e mulher é indestrutível, pois os rios, por mais caudalosos, não podem afogá-lo. As vagas e as ondas revoltas passam por cima dele, mas o amor permanece inabalável, imperturbável, vitorioso Finalmente, o amor entre marido e mulher é incorruptível. Ainda que alguém desse todos os bens de sua vida em troca desse amor, seria de todo desprezado. O amor não se compra com dinheiro. Amor interesseiro e mercantilista não é amor verdadeiro. Amor que se vende aos interesses da riqueza, do conforto e das vantagens imediatas, é um arremedo do amor verdadeiro. O verdadeiro amor tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor jamais acaba!

(Lição 05, do livreto devocional 'CADA DIA'do Pr Hernandes Dias Lopes, publicado pela LPC)

terça-feira, 26 de dezembro de 2017

O mistério do casamento



 “Grande é este mistério…” (Ef 5.32).

O casamento não é a união de dois iguais, mas, de dois diferentes. Embora criados por Deus da mesma substância, o homem é um ser distinto da mulher e a mulher um ser diferente do homem. A literatura secular explora essas peculiaridades, através de títulos provocativos: “O homem é de Marte e a mulher é de Vênus”; “Por que os homens mentem e as mulheres choram?”; “Por que os homens fazem sexo e as mulheres fazem amor?”. As diferenças entre marido e mulher, porém, não são para criar entraves ao casamento, mas para dar-lhe mais sabor. Marido e mulher não concorrem, complementam-se. A mulher foi dada ao homem como auxiliadora idônea, ou seja, aquela que lhe é co-igual, que olha nos olhos e completa-o física, emocional e espiritualmente. Se o homem tem um componente mais racional, a mulher tem uma percepção mais emocional. Se o homem é focado no ponto central, a mulher enxerga com mais clareza os detalhes. A mente mais arguta é desafiada por esse mistério divino, a relação do homem com uma donzela. O casamento é tão simples, que todos podem usufruir suas bênçãos, mas ao mesmo tempo é tão complexo, que o mais douto dos homens, não consegue perscrutar seus mistérios. O casamento é um retrato da mais sublime das relações do universo, a união entre Cristo e sua igreja!

(Lição 04, do Livreto devocional'CADA DIA', do Pr Hernandes Dias Lopes publicado pela LPC)

domingo, 24 de dezembro de 2017

Presentes

Presente Diário, o devocional de todos os que buscam a Deus


24 de dezembro de 2017

Leitura Bíblica: Mateus 2.7-12

[Os magos] abriram os seus tesouros e lhe deram presentes: ouro, incenso e mirra (Mt 2.11b).

Os magos do Oriente, assim como os pastores que estavam nos campos próximos a Belém (Lc 2.8-20), tiveram um dos maiores privilégios deste mundo: visitar o menino Jesus ainda pequeno. Não era um menino qualquer, nem apenas mais uma criança. Era o próprio Emanuel, “Deus conosco” (Mt 1.23), o Filho de Deus que deixou sua glória e se tornou humano como nós. Não temos nenhuma informação adicional sobre estes magos, nem anterior nem posterior a este episódio, mas sabemos que tinham uma missão bem específica: encontrar o rei dos judeus. Quando isso aconteceu, prostraram-se diante dele, adoraram-no e entregaram-lhe os melhores presentes que tinham à disposição.

Poderíamos nos perguntar: e se nós estivéssemos no lugar daqueles magos, com o privilégio de contemplar Jesus, o que teríamos entregado a ele? É bem possível que não teríamos tesouros, mas concordaríamos em entregar o nosso melhor para o menino Jesus.

Voltemos à vida real. Muito mais do que visitar um menino no primeiro século, temos hoje a oportunidade de nos apresentar diante do trono do Rei dos reis e do Senhor dos senhores, daquele que já cumpriu a missão para a qual veio a este mundo (entregar sua própria vida para que quem nele crer tenha vida eterna) e está agora assentado à direita do Pai.

Se concordamos em presentear um menino com o melhor que temos, o que podemos oferecer ao Senhor do universo? Se ouro, incenso e mirra foram os presentes mais adequados para o Rei dos judeus, o que se espera que entreguemos ao Rei dos reis?

Qual a melhor parte do seu tempo? Quais são os bens mais valiosos que você possui? Quais são as suas habilidades mais desenvolvidas? Quais são as suas maiores influências? Convido você a abrir os seus tesouros e oferecer os melhores presentes ao Senhor. – CK

Tudo vem de ti, e nós apenas te demos o que vem das tuas mãos (1Cr 29.14b).

Acesse: www.transmundial.org.br

A instituição do casamento


 “Não é bom que o homem esteja só” (Gn 1.27). Deus criou todas as coisas, as visíveis e as invisíveis. Criou os anjos e também o homem, à sua imagem e semelhança. Mesmo depois de colocar o selo de excelência em tudo que fez, Deus disse: “Não é bom que o homem esteja só. Far-lhe-ei uma auxiliadora que lhe seja idônea” (Gn 2.18). Então, Deus fez o homem adormecer e tirou uma de suas costelas e fez dela a mulher. Agostinho de Hipona disse que Deus não tirou a mulher da cabeça do homem para comandá-lo nem tirou-a dos pés para ser seu capacho, mas tirou-a da costela, para estar ao seu lado. Quando Adão acordou do seu sono anestésico, exclamou: “Esta sim, afinal, é carne da minha carne e osso dos meus ossos”. A mulher veio do homem e o homem vem da mulher. Não há superioridade nem inferioridade. Ambos, homem e mulher, foram feitos à imagem e semelhança de Deus. Têm a mesma dignidade e valor aos olhos de Deus. Portanto, o casamento foi instituído por Deus para que o homem e a mulher se completem. O casamento não é uma concorrência, mas uma parceria. Não é o domínio despótico do homem sobre a mulher, mas uma relação de cuidado mútuo, de amor recíproco, de devoção um ao outro, para a plena felicidade de ambos. O casamento nasceu no céu. Não foi uma invenção do homem, mas uma iniciativa divina.

(Lição 01 do livreto devocional
'CADA DIA', do Pr Hernandes Dias Lopes, publicado pela LPC/ MAIO 2017)

sábado, 23 de dezembro de 2017

Prepare-se

PRESENTE DIÁRIO, O devocional de todos os que buscam a Deus.

23 de dezembro de 2017


Leitura Bíblica: Amós 4.1-13

"Prepare-se para encontrar-se com o seu Deus, ó Israel." (Amós 4.12b).

O livro do profeta Amós é relativamente curto, comparado a outros profetas, mas como Palavra de Deus é um igualmente atual e pertinente aos dias que estamos vivendo. Amós é chamado por alguns de profeta da justiça, e seu nome significa fardo, carga ou carregador de fardos. Também é chamado de profeta boiadeiro, por ter sido criador de ovelhas e gado (Am 1.1; 7.14). Ele viveu dias difíceis, de grande injustiça no país (qualquer semelhança com o Brasil de hoje não é mera coincidência). Os ricos eram favorecidos em detrimento dos pobres, e estes eram duramente oprimidos. Amós usa termos muito fortes para retratar a terrível realidade. Compara as mulheres que enriqueciam à custa dos necessitados às vacas de Basã, belas e bem alimentadas. Fala das ofertas que o povo fazia ao Senhor, mas mantendo seu coração longe dele. Cita desgraças que Deus permitiu a fim de que voltassem ao Senhor, como fome, sede, pestes e destruição de cidades. Eram medidas disciplinares, mas o povo não se arrependeu. Por isso, no final do capítulo o profeta adverte os israelitas a se prepararem para enfrentar o juízo de Deus (versículo em destaque). Nas palavras finais do texto, ele ressalta a grandiosidade de Deus, seu poder e soberania, criando um grande contraste entre a arrogância de Israel e a grandeza de Deus.

Nos dias em que nos angustiamos com a situação do nosso país, com as autoridades e até mesmo com pessoas que se dizem cristãs, precisamos lembrar desta preciosa mensagem de Amós: um dia estaremos face a face com o nosso Deus! Ele tem o domínio sobre todas as coisas, mesmo que não entendamos no momento. Acima de tudo, é preciso lembrar que o Senhor nos ama e quer passar a eternidade conosco. Para isso, é preciso preparar-se desde já, vivendo de acordo com a sua vontade. – GHS

Se você se encontrar com Deus hoje, estará preparado(a)?


Acesse www.transmundial.org.br

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

A necessidade do novo nascimento

A necessidade do novo nascimento

A fidelidade a uma religião nem sempre significa fidelidade a Deus.
Saulo de Tarso é o exemplo clássico disso. Religiosidade e novo
nascimento são distintos. Quando alguém se converte ao
cristianismo, essa pessoa precisa de cuidados espirituais, de um domicílio
espiritual. Assim como um membro do corpo não pode se manter separado
dele, o mesmo é válido para os que foram regenerados pelo Espírito Santo.
Isso significa que todos os cristãos são religiosos, muitos já eram antes, outros
não, mas agora trata-se de uma nova experiência com Cristo. Todos os que são
transformados e regenerados pelo Espírito Santo são religiosos, pois estes são
geralmente membros de igrejas e no mínimo participam dos cultos, fazendo-se
presentes na adoração coletiva. Mas nem todos religiosos são cristãos e,
mesmo pertencendo a uma religião cristã, isso não significa necessariamente
que sejam regenerados.

(SILVA, Esequias Soares da: A razão da nossa fé - Assim Cremos, assim vivemos. Pág. 115. RIO DE JANEIRO. CPAD. 2017)

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Lição desta semana

A Necessidade do Novo Nascimento

Na lição desta semana estudaremos a respeito do novo nascimento (Jo 3.3). O novo nascimento é uma das principais doutrinas da fé cristã e ninguém pode fazer parte do Reino de Deus se não nascer de novo (Jo 3.3). Mediante a fé em Jesus experimentamos uma profunda transformação de vida. Essa mudança radical não é apenas exterior, mas interior. Atualmente há muitos como Nicodemos que não conseguem compreender a necessidade e a importância do nascer novamente. O Senhor Jesus mostrou a Nicodemos, e a nós, que religião alguma tem condição de transformar o homem. Somente Ele pode nos conceder uma nova natureza mediante a fé.
(Trecho do comentário da Revista Lições Bíblicas/CPAD)

A fé salvífica faz do pecador uma nova criatura em Cristo Jesus

LEITURA BÍBLICA DIÁRIA 

“Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é: as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo” (2 Coríntios 5.17).

Quando o ser humano é regenerado, o que acontece é uma ação decisiva e instantânea do Espírito Santo no ser humano. Podemos dizer que ocorre uma nova criação no interior humano.
Chama-nos a atenção a expressão “nova criatura é”. Significa que não “será”, muito menos há qualquer ideia relativizada acerca da natureza do novo nascimento. Simplesmente a pessoa que está em Cristo “é uma nova criatura”. De maneira decidida e espontânea ela foi regenerada pelo Espírito Santo e reconciliada com Deus por intermédio de Cristo Jesus (2Co 5.19). Aqui está a garantia da real conversão, da marca de nova criação. Tal experiência é que traz na vida do novo convertido a certeza de que agora ele está seguro em Deus e nada poderá abalar a sua fé.
(Comentário da Revista Ensinador Cristão/CPAD)

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

O pecado nos separa de Deus

Leitura Bíblica Diária
Quarta — feira



"Mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que não vos ouça". (Isaías 59.2)

Muitas pessoas, aceitam apenas o amor e a bondade de Deus. Porém, ignoram a sua Santidade e Justiça, que não podem conviver com o pecado e exigem a punição deste. Deus é absolutamente Santo e, por isso, o pecado afasta o ser humano de Deus, impedindo inclusive, que as suas orações sejam ouvidas, enquanto estiver na prática do pecado.
Entretanto, através do sacrifício de Jesus Cristo, o Filho de Deus, aqueles que nEle crerem podem ter os seus pecados perdoados e serem reconciliados com Deus.

segunda-feira, 1 de maio de 2017

A FALÊNCIA DO SISTEMA ASSEMBLEIANO DE CAPITANIAS HEREDITÁRIAS E DE FEUDOS



Pr. Altair Germano



Tudo que é criado pelo homem, tem o seu tempo de duração determinado.

O sistema de limites territoriais implantado nas Assembleias de Deus no Brasil, que "orientava" o pastor a não evangelizar e abrir igrejas fora do "seu" Estado ou Campo, parece que já não cabe mais. Ruiu e faliu.

Quer exemplos desta realidade?

1. Já existem no Brasil as Convenções de Ministros das Assembleias de Deus Interestaduais e Interegionais;

2. Várias Convenções Estaduais do Sudeste do Brasil já abriram e continuam abrindo ou apoiando trabalhos no Norte e Nordeste. Estas Convenções não poderão reclamar quando as igrejas Assembleias de Deus do Nordeste começarem a abrir trabalhos no Sudeste;

3. Os limites de campos dentro de um Estado não mais existem em boa parte do território brasileiro. Um exemplo claro é aqui em Pernambuco onde a Assembleia de Deus com sede em Recife abre trabalhos no antigo "campo" da Assembleia de Deus em Abreu e Lima, e vice e versa;

4. Aqui no Nordeste, temos ainda o caso de trabalhos antigos da Assembleia de Deus em Alagoas nos Estados de Pernambuco e Bahia;

5. Temos agora o caso inusitado do Pará, onde o pastor da capital desligou-se de sua Convenção Estadual e filiou-se com os seus ministros (a igreja acaba indo junto) a uma Convenção do Tocantins (interestadual).

Em meio a tudo isto, ainda se briga no Brasil por um pedacinho de terra, ou pelo domínio territorial de grandes "propriedades".

O que há de bom na falência do sistema de Capitanias Assembleianas ou Feudos?

Do meu ponto de vista, ganha o Reino de Deus, quando se parte para abrir ou expandir a igreja do Senhor em lugares onde há uma certa acomodação (por parte do dono da capitania ou feudo) ou dificuldades pertinentes. Há municípios, vilarejos, distritos, comunidades interioranas no Brasil com menos de 1% de evangélicos.

Ganha também por permitir que os crentes tenham a opção de se livrar de alguns jugos pesados, de alguns ditadores e aiatolás da fé, como também de alguns liberais e banalizadores da fé.

Penso ainda que a opção ou a alternativa que uma nova igreja dá, acaba por promover uma melhor e maior atenção do dono da capitania ou do feudo às ovelhas.

O lado ruim, é que muitos abrem igrejas Assembleias de Deus em lugares onde não trabalhavam, com o maléfico propósito de aumentar a sua arrecadação, para demonstrar o seu "grande potencial" expansivo e financeiro, ou por mera pirraça, birra, intriga.

Há aqueles também que saem de seu reduto em razão de cometer pecados dos mais diversos tipos, e por insubmissão, espírito faccioso, etc., para abrir trabalhos longe dos olhares de quem os conhece.

Outro problema são as divisões causadas pela política eclesiástica. Todo mundo que ser presidente de alguma coisa ou de muita coisa. Quando não consegue, se desliga e cria a sua própria Capitania ou Feudo, e diz: aqui ninguém não pode entrar.

O fato, repito, é que o sistema ruiu e já faliu.
É preciso manter um mínimo de bom senso, ética e respeito mútuo entre as partes envolvidas.
É preciso juntar os cacos das amizades e dos relacionamentos que se desfizeram.
É preciso possibilitar que as famílias que foram proibidas de cultuarem juntas voltem a se reencontrar nas igrejas, sem nenhum constrangimento.
É preciso derrubar os muros erguidos.
É preciso revogar as proibições feitas aos obreiros e aos cantores de visitar a "outra igreja".
É preciso ser crente de verdade.
É preciso autoridade para pregar e ensinar.
É preciso viver o verdadeiro amor.
É preciso falar de perdão e perdoar.
É preciso reconciliação.
É preciso reconhecer os erros.
É preciso rever os conceitos.
É preciso ser humilde.
É preciso saber sofrer o dano.
É preciso um novo rumo.
É preciso orar.
É preciso convidar o Espírito Santo para orientar o processo.
É preciso chegar no céu!



Fonte: http://www.altairgermano.net/2009/07/falencia-do-sistema-assembleiano-de.htmlte:

PASTOR ALTAIR GERMANO, professor de teologia, escritor, conferencista,  Vice presidente do Conselho e Educação e cultura da CGADB e
Pastor da Assembleia de Deus em Abreu e Lima - PE.

sábado, 22 de abril de 2017

Como identificar uma seita


A palavra seita, inicialmente, não tinha o sentido negativo que tem hoje. O próprio Cristianismo já foi chamado de seita. (Atos 20.14).
Hoje, no entanto, podemos dizer que seita é um grupo de pessoas que se reúnem em torno de uma interpretação equivocada da Bíblia, ou um grupo isolado, cujos ensinos contrariam as Escrituras.
Para um cristão verdadeiro, que conhece o básico do Bíblia, não é difícil identificar uma seita. Normalmente, as seitas dão ênfase a 'novas revelações', negam a autoridade única da Bíblia, negam a Trindade Santa, possuem uma visão distorcida sobre Deus, sobre Jesus Cristo e sobre o pecado, ou negam a salvação pela Graça e pregam que é necessário fazer sacrifícios para alcançar o favor de Deus.
Há também outras características de uma seita como o legalismo, o exclusivismo, a intolerância, a perversão sexual, o autoritarismo, o dogmatismo, etc.
Para facilitar o nosso entendimento sobre seitas, podemos classificá-las em pequenos grupos, considerando as suas características ou origens em comum:

1) Seitas proféticas: são as que se originaram de líderes que se autodenominam profetas, como Maomé, Charles Taze Russel, Ellen Gold White e Joseph Smith. Neste grupo estão o Mormonismo, Testemunhas de Jeová, Adventista do Sétimo Dia, Ciência Cristã, etc
2) Seitas secretas: Originaram-se de supostas revelações, que somente os seus adeptos teriam acesso. Neste grupo estão a Maçonaria, Teosofia, Esoterismo, etc.
3) Seitas espíritas: Surgiram da busca dá comunicação com os mortos ou espíritos. Entre estas estão o espiritismo kardecista, as religiões afro brasileiras, Legião da Boa. Vontade, Racionalismo Cristão, etc
4) Seitas Orientais: Fundamentam as suas crenças nas filosofias japonesas, hindus e iranianas. São panteístas, ou seja, acreditam que Deus é uma energia impessoal, que se confunde com a natureza. Neste grupo estão a Seicho-no-ie, Igreja Messiânica Mundial, Igreja da Unificação (Reverendo Moon), Meditação Transcendental, Hari Krisma, etc.
5) Seitas Uncistas. São as que não aceitam a doutrina dá Santíssima Trindade e acreditam que as referências ao Pai, Filho e Espírito Santo são manifestações diversas de Deus e Jesus. Neste grupo estão a Igreja Voz da Verdade, Tabernáculo da fé, Só Jesus, Adeptos do nome de Yehoshua, etc.

É importante destacar que não é preciso que uma religião tenha todas estas características para ser considerada uma seita. Se tiver uma delas, já pode ser considerada seita.

Há ainda muitas outras características, que tornam uma religião uma seita, como as seguintes:

1) A palavra do líder ou a tradição tem o mesmo valor da Bíblia;
2) Possui outros escritos considerados sagrados, que são iguais ou superior à Bíblia;
3) Somente o seu grupo detém a verdade. Todos os demais se desviaram de Deus;
4) Não se unem a nenhuma Igreja, mesmo as que seguem à Bíblia;
5) Pessoas, anjos, práticas, ou objetos são usados como mediadores entre Deus e a humanidade;
6) A autoridade e ensinos do líder são inquestionáveis.

Qualquer Igreja que tiver estas características é ou está se tornando uma seita. Vale lembrar que uma Igreja, se não atentar para o estudo sistemático das Escrituras pode se tornar uma seita e uma seita, se começar a estudar as Escrituras com sinceridade poderá se tornar uma Igreja verdadeira
Este é apenas um resumo da matéria Heresiologia, disciplina da teologia que estuda as Seitas e Heresias.

*A fonte de informações foi o Módulo 4, do curso teológico da Faculdade Teológica Betesda, onde estudei.

segunda-feira, 20 de março de 2017

A neopentecostalização da Assembléia de Deus



É doloroso para um assembleiano, ver a Assembléia de Deus se neopentecostalizando a cada dia. Estamos perdendo a nossa identidade de Igreja evangélica pentecostal, simples e que não abusa do dinheiro dos fiéis. Nas questões de contribuição, sempre fomos uma Igreja que falava timidamente sobre dízimos e ofertas, para não constranger os irmãos e para não afastar as pessoas do Evangelho. Os nossos pastores eram pessoas tementes a Deus, que viviam de modo simples, com muitas dificuldades financeiras. Entretanto, há alguns anos esta realidade vem mudando.
No último sábado, participei de um evento para casais em nossa Sede em Osasco, com um famoso palestrante, que diz que 'ama família'. Foram usadas as dependências da Igreja e suas instalações e cobrado R$ 100,00 por casal para participar. Segundo os organizadores, participaram um total de 450 casais, o que daria um total de 45 mil reais.
O corredor do templo, logo na entrada, parecia uma feira de tanta banca de livros, CDs, DVDs e camisetas; na cozinha da Igreja, o jantar era R$ 40,00 por casal e os lanches eram vendidos normalmente, mesmo para os que pagaram para participar do evento. Tudo para ajudar nos custos do evento.
Mesmo assim, o palestrante passou quase uma hora distorcendo textos bíblicos e contando histórias, com o objetivo de arrecadar. Começou pedindo um valor básico de R$ 700,00. Depois, falou que aqueles que não tivessem, poderiam dar 500,00, 200,00, 100,00, até que chegou ao valor mínimo de 7,00. Citou até um caso de 'um irmão' que ele conheceu, que certa vez deu (pasmem!) 5 milhões de oferta.
Isso, com o linguajar típico do neopentecostalismo: semeie uma oferta, terra fértil, liberalidade, fé para ofertar, declaro prosperidade, ato profético, etc.
Ofereceu livros de todos os tipos, inclusive um que fala da herética doutrina da maldição hereditária. Onde vamos parar? Ainda bem que não convidei nenhum casal para participar. Ficaria envergonhado, se tivesse levado um casal não evangélico ou novo convertido para ser submetido a uma manipulação e constrangimento dessa magnitude.

Deus tenha misericórdia da Assembléia de Deus!

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Parabéns Mamãe!

Hoje para mim é um dia especial
Todo dia primeiro de fevereiro
É uma data a comemorar
Lembra-me um amor verdadeiro
De quem ama incondicionalmente
Antes que eu a amasse, amou-me primeiro.

Muitas frases e poesias já foram escritas
Para este amor enaltecer.
Refiro-me ao sublime amor de mãe
Que dá a vida, para o filho proteger
Já cantaram: minha mãe, minha heroína
Flor divina, amá-la-ei até morrer.

Palavras serão sempre insuficientes
Para o meu grande amor expressar
Por aquela que carregou-me em seu ventre
Nos braços pegou-me para amamentar
Ensinou-me a dar os primeiros passos
Protegendo-me até eu me firmar.

Hoje é o seu aniversário Mamãe
São setenta e dois anos de vida
Paz, saúde, alegria e muita felicidade
É o que lhe desejo nesta data querida
Só tenho que agradecer a Deus
Pela ótima mãe que me foi concedida.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Parabéns São Paulo pelos seus 463 anos!

Eu amo a cidade de São Paulo, cidade que me acolheu, quando me vi na necessidade de deixar a minha terra natal, buscando melhores condições de vida. Moro na grande São Paulo há vinte e quatro anos, dos quais treze foram na cidade de São Paulo e há onze anos em Osasco, cidade da Grande São Paulo. Mas, trabalho na cidade de São Paulo há 14 anos.
Encontrei aqui muitos amigos e oportunidades de trabalho. Não sou rico, mas, graças a Deus nunca me faltou o básico para a sobrevivência.
Nunca fui vítima do alegado preconceito contra Nordestinos, que algumas pessoas dizem haver por aqui. Ao contrário sempre me relacionei muito bem com os paulistas. Foi aqui que casei e tive dois filhos. Já vivi mais tempo aqui do que na minha terra.
Portanto, sinto-me tanto nordestino, quanto paulista. Não acho justo um nordestino, ou pessoa de qualquer outra região vir para São Paulo, ser acolhido nesta cidade e voltar para a sua terra falando mal daqui. Mesmo que um dia volte para o estado de Pernambuco, onde nasci, serei sempre grato a São Paulo.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Digno de honra seja o matrimônio

Como é belo o amor conjugal!
A união entre marido e mulher
Tendo a aliança como sinal
Da fidelidade, como Deus quer.

Deus criou o homem primeiro
E viu que a solidão não era boa
Fez cair-lhe um sono certeiro
Tirou lhe uma costela e fez a varoa.

Deus os chamou para dar início
À celebração do casamento:
Heterossexual, monogâmico e vitalício.
Seriam um, a partir daquele momento.

Após a cerimônia, Deus os abençoou
E lhes disse para crescer e multiplicar
Adão, então, muito feliz ficou
Pois, agora tinha Eva para amar.

E assim, teve origem o matrimônio
Com o objetivo de a raça humana perpetuar
Unindo o corpo, a alma e o patrimônio
Daqueles que resolverem se casar.

Tudo o que Deus faz é bem feito
Porém, vem o homem com seus achismos
Querendo fazer as coisas do seu jeito
Inventou o divórcio e o homossexualismo.

Inventaram também a prostituição
O adultério, a poligamia, o concubinato
E outras coisas para 'melhorar a relação'.
Mas, nada disso é casamento de fato.

Eu me considero um privilegiado
Por ter encontrado um jóia tão preciosa
Na verdade, fui por Deus agraciado
Pois, Ele me deu uma esposa virtuosa.

Antes de casar, muitos erros cometi
Depois resolvi orar ao Senhor
E com a Sua Palavra aprendi
Que a base do casamento é o amor.

Aprendi também a não me prender
A uma pessoa que não teme a Deus
É preciso sabedoria para escolher
Para não tornar um inferno os dias meus.

Entre a busca, a oração e a espera
No início do ano de dois mil e um
Conheci uma moça linda e sincera
Percebi que tínhamos muito em comum. .

De namoro e noivado, foram dois anos
Decidimos, de livre e espontânea vontade
Em abril de dois mil e três nos casamos
Para estarmos juntos até a eternidade.

Passaram-se quase catorze anos
Desde que um ao outro dissemos sim
Lutas e dificuldades nós passamos
Mas, eu cuido dela e ela cuida de mim.

Para que o casamento possa durar
É preciso, primeiro, ter Deus no coração
Compreender, renunciar ao ego e amar
Acima de tudo, praticar sempre o perdão.


Weliano Pires































terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Profecias ilógicas, bizarras e incoerentes


Pr. Ciro Sanches Zibordi


Recentemente, dois vídeos ligados a falsas profecias “viralizaram” nas redes sociais. Num deles, um milagreiro — que diz ter visitado mais países do que os reconhecidos pela ONU — resolveu revelar a cinco irmãos, em um culto, os números de uma famosa loteria. Disse ele: “O Senhor falou para mim que tem cinco pessoas que vão se tornar milionárias, pois vão acertar na Mega-Sena. Cinco irmãos que jogam na Mega-Sena levantem a mão. Não tenham medo; não tenham vergonha”. E, por incrível que possa parecer, eles se manifestaram! O “profeta”, então, lhes disse: “Anote aí: 7, 8, 3, 4, 2, 0. Se anotou, recebeu a bênção”. E o povo o aplaudiu.

No segundo vídeo, um famoso “apóstolo” — que costuma desafiar e amaldiçoar pessoas que se lhe opõem — profetizou a um candidato a vereador: “Está selado; eu ligo na terra. Se a boca de Deus fala por mim, amanhã por essas horas você vai estar cantando o hino da vitória. Ou Deus não fala por mim”. Resultado: o candidato não obteve nem cinco por cento dos votos que precisava para ser eleito! Este episódio e o anterior me fizeram lembrar de imediato do que está escrito em Deuteronômio 18.22: “Quando o tal profeta falar em nome do SENHOR, e tal palavra se não cumprir, nem suceder assim, esta é palavra que o SENHOR não falou; com soberba a falou o tal profeta; não tenhas temor dele”.

De acordo com as Escrituras, os dons do Espírito Santo jamais contrariam a Palavra de Deus, a qual nos orienta a ganhar dinheiro trabalhando, e não por meio de jogos de azar (cf. Gn 3.19). Ademais, Deus não incentiva ninguém a querer ser um milionário (1Tm 6.9-10). Ressalte-se, ainda, que o “profeta” do primeiro vídeo sequer sabia do que estava falando, pois demonstrou total ignorância quanto ao tipo de loteria mencionada, fomentando ainda mais a zombaria por parte dos inimigos da fé evangélica. Tanto o primeiro vídeo como o segundo, igualmente grotescos, nos levam a meditar a respeito do que é a profecia e suas finalidades, à luz da Palavra de Deus.

Como pentecostais, cremos nos dons do Espírito, mas também sabemos que a verdadeira profecia, proveniente de Deus, de fato, é apresentada quando um servo seu, fiel à sua Palavra, transmite uma mensagem específica por meio da inspiração direta do Espírito Santo (1Co 14.30 e 2Pe 1.21). Trata-se de uma manifestação sobrenatural, cuja função precípua é a edificação das igrejas (1Co 14.3-4). Sendo proveniente de Deus, uma profecia é coerente e lógica, e não esdrúxula e contraditória.

Leiam o texto completo aqui...

http://cirozibordi.blogspot.com.br/2017/01/profecias-ilogicas-bizarras-e.html?spref=fb&m=1

A resistência ao estudo teológico e a apologia à ignorância na Assembleia de Deus


Eu sou asembleiano desde a infância. Gosto muito da minha Igreja, até porque foi através dela que os meus pais e eu conhecemos a Cristo.
A Assembléia de Deus, maior denominação evangélica pentecostal do mundo, nasceu em Belém - PA, em 1911 após os missionários suecos, Daniel Berg e Gunnar Vingren, terem sido expulsos da Igreja Batista, por pregarem a doutrina pentecostal. Inicialmente, o seu nome era "Missão da Fé Apostólica". Somente em 1918, passou a chamar - se Assembleia de Deus.
As características iniciais desta Igreja sempre foram o ensino da Palavra de Deus e a manifestação dos Dons Espirituais. Porém, com a passagem da liderança dos missionários suecos, que eram profundos conhecedores da Palavra de Deus, para pastores brasileiros, a ênfase da denominação passou a ser voltada para usos e costumes e regras e proibições das mais absurdas. Durante muitos anos, os assembleianos foram proibidos de jogar futebol, ouvir rádio e ver televisão; os homens eram obrigados a usar chapéus, calça social e camisa manga longa com uma camiseta por baixo , independente do clima; as mulheres eram submetidas a regras muito rigorosas como: não se depilar, não usar maquiagem, não cortar o cabelo, usar saias longas e blusas de mangas compridas, não usar saltos, etc.
Uma coisa que sempre fez parte da cultura assembleiana foi a sua resistência aos seminários teológicos. Embora sempre tenha dado muita ênfase à Escola Dominical e às Escolas Bíblicas de Obreiros, muitos pastores assembleianos antigos não aceitavam o ensino sistemático de teologia. O Pr. Cícero Canuto de Lima, que foi Presidente do Ministério do Belém durante muitos anos, dizia que os seminários eram 'fábricas de pastores'. Outro argumento usado contra o ensino teológico é o de que ele 'esfria o crente', ou torna-o exaltado, arrogante e insubmisso.
Com a vinda de missionários como Bernard Johnson e Eurico Bergstén, que eram professores de teologia, isso foi mudando aos poucos. O primeiro, fundou a EETAD (Escola de Educação Telógica da Assembléia de Deus) em Campinas SP. O segundo escreveu vários livros sobre teologia sistemática e incentivava o ensino teológico nas Assembléias de Deus no Brasil. Pastores brasileiros como Antonio Gilberto e outros, estudaram teologia nos Estados Unidos e também se dedicaram muito à teologia assembleiana. O Pr João Kolenda fundou, em Pindamonhanga-SP, o IBAD (Instituto Bíblico das Assembléias de Deus), um seminário com formato de internato, que formou vários teólogos assembleianos, que hoje são escritores da CPAD. Entretanto, havia muita resistência, por parte de algumas lideranças nacionais da Igreja.
Nas décadas de 80 e 90 vários seminários foram criados e a Igreja foi percebendo a necessidade do ensino teológico, principalmente para os obreiros. Depois, a CGADB (Convenção Geral da Assembléias de Deus Brasil) decidiu que a formação teológica deveria ser obrigatória para os candidatos ao Ministério. Porém, mesmo assim, alguns pastores aceitavam que os candidatos que estivessem matriculados em um curso teológico já poderiam ser aprovados para o Ministério. Alguns obreiros, se matriculavam apenas para serem consagrados. Depois da consagração, abandonavam o curso.
Essa resistência histórica ao estudo teológico gerou alguns crentes que, por não entenderem nada de teologia, repetem os mesmos argumentos falaciosos de antigamente e fazem apologia à ignorância, como se esta fosse uma virtude.
É comum ouvirmos nos púlpitos assembleianos, pastores falarem que 'teologia não expulsa demônio', ou que 'não precisamos saber quantos parafusos haviam na Arca de Noé' e que 'para pregar basta falar que Jesus é bom'. Quanta ignorância! Quem disse que a teologia se propõe a fazer exorcismo ou a contar parafusos?
Ora, a teologia se propõe a estudar sistematicamente a Palavra de Deus, tendo como base principal aquilo que o próprio Deus nos revelou através das Escrituras Sagradas. A teologia bíblica não cria doutrinas. Ela apenas as cataloga e as põe em ordem, para uma melhor compreensão do conteúdo bíblico.
Considerando que a Bíblia foi escrita em lugares, cultura, época e idiomas muito diferentes daquilo que vivemos hoje, precisamos evidentemente, conhecer estas coisas, para entender a Bíblia. Aliás, se não fosse o estudo teológico, nem Bíblia em Português nós teríamos e certamente não seríamos evangélicos. Estaríamos, provavelmente, adorando imagens de escultura ou fazendo penitências para tentar ser salvo.
Quando estudamos os idiomas originais da Bíblia, o hebraico, o aramaico e o grego, não é para 'falar bonito' ou pregar em outros idiomas na Igreja. O estudo destes idiomas, mesmo que em parte, nos ajuda a compreender o real sentido dos textos bíblicos e evita interpretações equivocadas. Da mesma forma, quando estudamos a hermenêutica, ciência da interpretação de textos antigos, é para interpretar corretamente o texto bíblico e evitar a distorção. Outra matéria muito importante da teologia que é muito ridicularizada pelos apologistas da ignorância é a homiletica. Na opinião deles, estuda-se homiletica para 'falar difícil', usando expressões desconhecidas do público para demonstrar erudição. O que eles não sabem ou fingem não saber, é que a homiletica faz exatamente o contrário disso. O objetivo da homiletica é aperfeiçoar o discurso, para que este tenha conteúdo e seja compreendido pelos ouvintes. Na homiletica aprendemos a elaborar sermões com tema, introdução, argumentação e conclusão. Além disso, aprendemos a ter postura e linguagem que não atrapalhem a atenção dos ouvintes. Uma pregação assim, faz com que o pregador pregue a Palavra de Deus de forma eficiente, sendo compreendido e aproveitando melhor o tempo.
Não entendo porque pastores e pregadores assembleianos continuam contrapondo o estudo teológico com a humildade ou com a oração, como se fossem conceitos opostos. Ora, o fato de alguém ser teólogo não o torna, necessariamente soberbo, nem impede que ele tenha uma vida piedosa e de oração. O contrário também é verdadeiro. Não é porque alguém é um analfabeto teológico, que será obrigatoriamente, humilde ou uma pessoa piedosa. Uma coisa não exclui, nem substitui a outra.
Parece que dá audiência falar contra teologia e contra o conhecimento nos púlpitos assembleianos. Estas pessoas talvez não se dão conta, mas, com esta atitude estão desestimulando os obreiros mais novos de estudarem a Palavra de Deus. Isso trará grande prejuízo tanto para os futuros obreiros, quanto para a própria Igreja.
Que Deus lhes dê discernimento.

Pb. Weliano Pires.


domingo, 1 de janeiro de 2017

Adeus, 2016...FELIZ 2017

Enfim, mais um ano está terminando
Muitos sonhos e desejos foram frustrados
Uma grande crise estamos enfrentando
Com doze milhões de desempregados

Na política, o povo foi às ruas e reagiu
Bateram panelas contra a corrupção
Muitas denúncias e a presidente caiu
Até Eduardo Cunha foi para a prisão

Vários políticos foram denunciados
Em grandes operações da Polícia Federal
Foram presos ex ministros e deputados
Até Anthony Garotinho e Sérgio Cabral.

Até o Lula, 'a alma mais honesta deste país'
Em cinco processos, se tornou réu
Seus advogados afrontam até ao Juiz
Nos depoimentos, fazem o maior escarcéu.

Lula era o chefe da quadrilha
A cada dia, a coisa para ele fica feia
Todos os depoimentos e planilhas
O levam para mais perto da cadeia.

Michel Temer, a presidência assumiu
E de grandes nomes se cercou
Já foram seis meses e a crise não diminuiu
Agora, a Odebrecht até ele citou.

No Senado, a coisa não é diferente
Muitos senadores sendo delatados
O STF transformou em réu o presidente
Que há muitos anos vem sendo acusado.

Renan Calheiros não é nenhuma referência
Em questão de ética e honestidade
Tem doze inquéritos e muita pendência
Mas, se beneficia com a impunidade.

O ano termina neste cenário dramático
O que está por vir, ninguém pode prever
O meio político está muito emblemático
Com muitas denúncias a se esclarecer.

O povo brasileiro está desiludido
Depois de tudo que vem acontecendo
Pois, o nosso país está sendo destruído
E os políticos cada vez mais enriquecendo

Deixemos as desgraças de lado
E vamos as nossas esperanças renovar
Pedir a Deus, um ano abençoado
E que o nosso país venha melhorar.

Adeus ano velho! Feliz ano novo!
Que paz, felicidade e alegria, possamos ter.
Que se realizem os sonhos do nosso povo
E tenham saúde pra dar e vender.


DEUS ABENÇOE O BRASIL!
FELIZ ANO NOVO, MEUS AMIGOS E IRMÃOS.

Weliano Pires
31 de Dezembro de 2016.