segunda-feira, 30 de maio de 2016

As 12 vezes em que o tiro da esquerda saiu pela culatra.

Por Camilo Caetano*

Ultimamente ser de esquerda não tem sido nada fácil. O surgimento de movimentos liberais e conservadores com embasamento teórico enfraqueceram o argumento esquerdista e, sendo assim, a esquerda não teve outra opção, a não ser apelar para discursos vitimistas e de ódio.
Porém, nem sempre a estratégia de vitimizar ou de incriminar o inimigo político deu certo. Veja só as 12 vezes em que o tiro da esquerda saiu pela culatra:

1. A IstoÉ inventou sobre a delação de Delcídio
No dia que a IstoÉ lançou uma mega reportagem sobre a delação bombástica de Delcídio, Tico Santa Cruz não gostou muito do chefão Lula estar envolvido no esquema. E fez várias postagem dizendo que a revista estaria “mentindo” para ganhar audiência e contribuir com a prisão de Lula.
Uma semana depois, a delação foi homologada pelo STF e confirmou todos os fatos exibidos pela revista.

2. Jean Wyllys: queda de avião era ataque homofóbico
Após avião ter sido abatido na fronteira da Ucrância, ao descobrir que haviam pesquisadores da AIDS a bordo, Jean Wyllys disse que poderia ter sido um ataque homofóbico.
Um tempo depois, os EUA confirmaram que eram rebeldes treinados pela Rússia que abateram o avião por ter cruzado a fronteira.

3. Jean Wyllys: menino gay morto seria vítima de homofobia
Jean Wyllys havia acusado os evangélicos e a sociedade machista pela morte de um garoto homossexual em Goiás. E logo depois, encontraram o assassino e descobriram que ambos tinham relações sexuais.

4. Jandira mostra que Lula está tranquilo em relação a lava-jato
Jandira foi tentar mostrar a tranquilidade de Lula após a ter sido chamado para depor. E sem querer acabou mostrando um pedaço da conversa dele com a presidente Dilma. Lula aparentava nada tranquilo e ainda mandou a justiça “enfiar os processos no c*”

5. O movimento racista que apoia Bolsonaro em Niterói
Uma imagem com cartazes racistas se espalhou nas redes sociais e em blogs esquerdistas, a esquerda, então, aproveitou para acusar a direita e os seguidores de Bolsonaro de “neonazistas”. Porém, o autor vacilou. Na imagem mostrava que a cola do cartaz estava ainda fresca, o que deixou suspeitas de que a própria pessoa que tirou a foto provavelmente colou os cartazes numa tentativa de orquestrar um ataque “false flag” contra direita.

6. O ataque racista à Maju
O ataque racista contra a Maju nas redes sociais teve repercussão nacional, chegou até na TV. E vários blogs de esquerda aproveitaram a situação para levantar a importância da esquerda no combate aos movimentos racistas organizados que supostamente cresciam no país. Alguns dias depois, a polícia federal investigou e descobriu que era mais um ataque “false flag” da esquerda. O jovem que orquestrou o ataque era negro e ainda teria votado no PT.

7. Imagem da babá que estava sendo oprimida em manifestação
A esquerda divulgou pelas redes sociais a imagem de uma babá que supostamente estava sendo oprimida por trabalhar aos finais de semana. A repercussão foi tão grande que chegou até em mídia internacional. Alguns dias depois, a babá apareceu na mídia e explicou que trabalhava apenas dois dias na semana, e também contratava uma babá para ficar com o filho no final de semana. E toda aquela história de opressão caiu por terra.

8. A Transexual vítima de Transfobia
A revista fórum, blog esquerdista adorado pelos “isentões”, repercutiu uma notícia de uma jovem transexual que sofreu agressão por um grupo de pessoas na Rua Augusta, e ainda mencionou que poderia ser mais uma vítima de “transfobia”. Porém, o blog “esqueceu” de mencionar o depoimento da vítima em que dizia que foi agredida por 20 homossexuais e salva por um homem hetero.

9. A Veja Mentiu sobre o Romário
A revista Veja divulgou uma matéria sobre uma suposta conta do deputado Romário na Suíça, e alguns dias depois o banco e o ex-jogador desmentiram a revista. A esquerda aproveitou a situação para dizer que a revista sempre mentia, na tentativa inocentar o ex-presidente Lula, que já foi várias vezes capa da Revista.
Porém, em um áudio vazado do senador Delcídio, Romário saiu na conversa em que o senador dizia que a história da conta na Suíça era verdade. Depois disso, até a Socialista Morena se sentiu obrigada a dar razão a Revista Veja.

10. Remédio caro é culpa do livre mercado!
A notícia de um jovem empresário que subiu o preço de um remédio para tratamento de câncer em 5.000%, de U$ 13,50 para U$ 750,0 causou indignação no mundo todo. E a esquerda aproveitou o momento para criticar a busca pelo lucro de empresários e dizer que o “livre mercado” não funciona.
No entanto, algumas semanas depois a esquerda foi surpreendida ao receber a notícia de que uma outra empresa também estaria produzindo uma variante do remédio por U$ 1, ou seja, muito mais barato do que o preço inicial do remédio, que era de U$ 13,50.

11. A pobre negra da USP
A jovem do movimento negro ficou conhecida nas redes sociais após um vídeo viral em que a moça criticava a “elite branca” da USP e dizia que “a mãe preta dela limpava o chão”.
No entanto, após uma pesquisa no Facebook da “pobre” negra, foi revelado que a jovem moça era da burguesia, estudou em um dos colégios mais caros de São Paulo e ainda adorava viajar para fora do país.

12. A jovem burguesa que ostentava o celular na praia
Após uma onda de arrastões no Rio de Janeiro, a esquerda aproveitou a situaçào para criticar os burgueses que ostentavam seus celulares na praia.
O que a esquerda não esperava era uma jovem, que teve sua foto viralizada nas redes sociais, aparecer e explicar que não era nada de uma “burguesa”, como falavam por aí. E ainda acrescentou que ganhava pouco e teria trabalhado muito para conseguir comprar o celular roubado pelos “bandidos inocentes”.

*Camilo Caetano
Cursou Ciência da Computação pela Unesp. Trabalha com desenvolvimento de serviços de tecnologia da informação para o jornal Valor Econômico.