quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Como resolver o problema da criminalidade no Brasil.

A cada dia em nosso país, acontecem crimes brutais: roubos seguidos de morte, estupros seguidos de assassinatos, agressões e torturas das mais monstruosas, etc.
É fato que os nossos governantes não sabem o que fazer, ou não tem coragem de enfrentar o problema.
Um dos grandes entraves à solução do problema da criminalidade,  e sem dúvida  é a impunidade que há neste país. Aqui, o crime compensa.
Eu sou favorável a que se apliquem penas, com o princípio da retribuição e da correção do dano causado, como acontecia na lei do talião.
Por exemplo:
Para crimes de homicídio doloso, pena de morte;
Para crimes de roubos e furtos, devolução do valor quadruplicado e cadeia;
Para crimes de estupros e pedofilia, castração química (ou física) e pagamento dos tratamentos necessários à vitima;
Para crimes de lesão corporal, indenização à vítima e à família, em caso de invalidez permanente e cadeia;
Na cadeia, os condenados deveriam ser obrigados a trabalhar para bancarem o seu próprio sustento e o de sua família. Se tentar fugir ou cometer crimes lá dentro, que se aumente a pena.
Visitas somente através de vidro blindado e interfones, sem nenhum contato físico.
Bebidas, cigarros, drogas, celulares, rádio, TV, presentes, etc. devem ser proibidos. O preso deve comer apenas o que o sistema penitenciário fornecer.
Não deve haver prisão especial. A prisão deve ser a mesma para qualquer criminoso que for condenado no mesmo crime, independente da escolaridade ou classe social.
E assim, sucessivamente.
Ah, é preciso conceder ao cidadão de bem, o direito de ter armas em casa e defender a sua família e o seu patrimônio, pois, a Polícia não é onipresente, ou seja, não conseguem estar presentes em todos os lugares. O cidadão podendo se defender, o criminoso pensará duas vezes, antes de atacá-lo.
Façam isso no Brasil e me digam depois de dez anos, se a criminalidade não diminuiu significativamente e se não poderemos dormir com as janelas abertas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário