sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Irresponsabilidade no bolsa-aluguel em Osasco

Prezado Secretário,

O meu nome é Weliano Pires Neto. Sou morador do bairro Colinas do Oeste. Morei em São Paulo durante treze anos e no ano de 2005, mudei-me para Osasco, passando a morar no referido bairro. Comprei à época um barraco de madeira, com cadastro da prefeitura e nas reuniões que se fizeram na época disseram que aquele local seria legalizado e portanto, poderíamos construir as nossas casas. Com muito trabalho e gastando o que não podia, consegui construir dois cômodos e uma garagem, não podendo entretanto, dar acabamento, por falta de dinheiro.
Para a minha surpresa, em 2008, a prefeitura mudou de opinião e disse que teríamos que deixar o local, pois seriam construídas moradias do PAC. Em 2009, mesmo contra a minha vontade, tive que sair da minha casa, para a prefeitura mandar derrubá-la, indo para o bolsa aluguel, recebendo mensalmente o valor de R$ 300,00. Confesso que foi difícil achar uma casa para alugar por este valor. Mas, um amigo meu alugou-me e já estou lá a três anos.
Durante todo esse tempo, aconteceram vários atrasos no pagamento. Para não ficar mal perante o proprietário, tive muitas vezes que tirar do meu salário, com dificuldade, para pagar o aluguel, para depois receber da prefeitura. Até enviei um e-mail para o Senhor e fiz algumas reclamações por telefone. O pagamento inicial era feito todo dia 5 de cada mês e posteriormente passou para o dia 17, sem nenhuma justificativa.
No último dia 17, a minha esposa foi ao canteiro de obras da CONSTRUCAP buscar o cheque e foi surprendida com a informação de funcionárias desta Secretaria, de que a partir de agora, teríamos que enviar cópias dos documentos do proprietário da casa, para que o dinheiro seja depositado diretamente na conta dele. Falaram ainda que não iriam pagar o aluguel deste mês, pois segundo elas no primeiro mês recebemos dois meses. É verdade que recebemos dois meses, porém este dinheiro foi usado para o adiantamento que é comum em toda locação de imóveis. No último mês é descontado. Como podem querer descontar agora? Como vamos pagar o aluguel? E aqueles que moram de favor que ajudam os familiares com esse dinheiro?
Um outro problema são os critérios usados para a entrega dos apartamentos. Nas reuniões nos disseram que quem saiu primeiro, voltaria primeiro. Disseram ainda que as casas seriam para idosos, deficientes e pessoas com quantidade maior de filhos. Pois bem, há inúmeras pessoas que sairam depois de mim que já receberam a sua casa. Alguns nem tem filhos e receberam casa no térreo. Isto é uma incoerência. Houve até morador que me sugeriu procurar alguém e pagar propina. Porém, isso vai contra os meus princípios. Não quero acreditar que a prefeitura adote tal postura.

Solicito desta secretaria, analisar os fatos e verificar o que pode ser feito para melhorar a situação dos moradores.
Atenciosamente,
Weliano Pires Neto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário