quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Peroba neles!!!!!!!

É incrível o cinismo do PT, pedindo o impeachment do governador do Distrito Federal e o da ministra Dilma que classificou as imagens da acomodação de dinheiro em peças íntimas, como “estarrecedoras”. Eu concordo com a ministra. Realmente, aquelas atitudes são mesmo estarrecedoras, tanto, que já enviei e-mail à direção do DEM, pedindo a saída de Arruda.
Entretanto, gostaria de perguntar algumas coisas à ministra e ao PT: Quando Waldomiro Diniz apareceu extorquindo Augusto Ramos para arrecadar fundos para a campanha eleitoral do Partido dos Trabalhadores e do Partido Socialista Brasileiro no Rio de Janeiro, a ministra não se “estarreceu”? E quando Duda Mendonça confessou na CPI dos correios, que recebera dinheiro do PT via caixa dois no exterior, por que a “ética” ministra, não pediu o impeachment do presidente? A ministra ficou estarrecida com o fato do assessor do irmão do deputado Genoíno, ser preso com a cueca cheia de dólares? Quando os “aloprados” foram presos com malas de dinheiro, que aliás até hoje ninguém disse de onde veio, qual foi a reação da Sra. Dilma? A ministra e o PT sentiram-se “ofendidos” com a “dança da pizza?” Quais foram as reações contrárias da ministra e do PT, frente às atitudes de Renan Calheiros, Sarney e Severino Cavalcanti, na câmara e no senado? Quem salvou os mandatos de Renan e Sarney? Se mensalão deixa a ministra e o PT estarrecidos, por que eles fizeram uma festa para homenagear José Dirceu e Genoíno?
Ministra Dilma, já diz o velho ditado: “Em casa de enforcados, não se deve falar em cordas”. Por tamanha cara-de-pau, recomendo a compra de “óleo de peroba”, para lustrá-la.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Mensalão no DF - Repúdio

Como filiado ao partido DEMOCRATAS de São Paulo venho a público, repudiar as atitudes do governador José Roberto Arruda. Diferente do presidente Lula eu acho que as imagens são sim comprometedoras. As práticas ali expostas, vão na contramão do que o nosso partido prega. Concordo com os integrantes do DEM que defendem a sua imediata expulsão. Nós do DEM não nos comportamos como o PT e seus aliados em 2005 que alegavam que o mensalão era “armação da imprensa golpista”. Temos que cortar na nossa carne, para defender a honra do partido. A não ser que o governador prove a sua inocência, o que eu acho muito difícil.
Outrossim, como evangélico da Assembléia de Deus, quero repudiar o comportamento lamentável do deputado Júnior Brunelli, que se diz evangélico, (embora as suas atitudes neguem), de além de receber propinas, afrontar a Deus, agradecendo-lhe por tal. Conclamo o povo evangélico do Brasil a repudiarem tais comprotamentos, antes que a sociedade nos nivelem por baixo. E nas próximas eleições analisemos o perfil e o histórico dos candidatos que se dizem evangélicos antes de votarmos neles. Que ser evangélico não seja o único critério para a escolha.
Por fim, gostaria de perguntar à OAB, CUT, UNE, PC do B e PT onde eles estavam em 2005 no auge do mensalão e por que não pediram o impeachment de nenhum dos envolvidos? O PSTU e o PSOL podem falar pois na ocasião citada eles se manifestaram. Uns poucos petistas também fizeram o mesmo, inclusive deixando o PT.

Weliano Pires
Presbítero da Assembléia de Deus e filiado ao DEM-SP