domingo, 18 de outubro de 2009

Jarbas desmascara Lula

O senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) classificou nesta quinta-feira o presidente Luiz Inácio Lula da Silva de "mentiroso contumaz" ao reagir às críticas feitas pelo petista durante viagem às regiões de obras de transposição do rio São Francisco, no Nordeste do país. Jarbas disse que Lula aproveitou viagem para fazer campanha eleitoral em defesa de candidatos da base governista ao Palácio do Planalto.

Em discurso no município de Custódia (PE), Lula disse que Jarbas não o acompanhava em cerimônias públicas durante os seus primeiros anos de governo porque, como governador de Pernambuco, na época tinha medo de ser vaiado.

"O presidente Lula está se transformando num mentiroso contumaz. Como governador do Estado, nunca deixei de participar das programações feitas pelo Planalto, mesmo quando eram transformadas em eventos eleitoreiros por parte dos aliados do presidente. Quem tremeu diante de vaias foi Lula, quando foi vaiado fortemente em pleno Maracanã", afirmou o senador.

Jarbas disse que é "vergonhoso e acintoso" ver o presidente da República "em campanha eleitoral escancarada e antecipada sob a passividade da Justiça Eleitoral e do Ministério Público sem nenhuma consequência".

"A verdade é que Lula usa e abusa do dinheiro público para empinar a sua candidata", afirmou o senador.

No discurso em Pernambuco, Lula não citou o nome de Jarbas, mas insinuou para o atual governador Eduardo Campos (PSB) que o peemedebista não o acompanhava nas viagens presidenciais por medo da reação popular. "Você [Eduardo Campos] não estava comigo porque você não era governador e o outro governador não ia comigo. Não ia porque não queria ou porque tinha medo de ser vaiado", disse o presidente.

Críticas

Nesta quinta-feira, Lula também criticou o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), e o TCU (Tribunal de Contas da União). O presidente disse que é muito fácil para quem não sofre com a falta de água ser contrário à transposição do rio São Francisco.

"Ser contra lá na Tijuca, no Rio de Janeiro, na Avenida Paulista é fácil. Eu sou contra depois abro a geladeira e abro uma água Perrier [marca de água francesa] geladinha. Agora, vem pra carregar uma lata de água na cabeça com caramujo e tudo para depois tirar com uma canequinha uma água barrenta para beber", disse em entrevista coletiva à emissoras de rádio no município de Sertânia, em Pernambuco.

Em São Paulo, o governador José Serra (PSDB) criticou a redução de investimentos em irrigação. "Não fiz nenhuma crítica. Disse que pararam as obras de irrigação. Se ajudar a ter um metro a mais de irrigação, vou ficar feliz. Se o que disse aumentar a irrigação, vou ficar contentíssimo", disse Serra hoje.

Ontem, ao comentar a viagem do presidente Lula às obras de transposição do rio São Francisco, Serra disse que faltava irrigação nas áreas vizinhas.

Fonte:GABRIELA GUERREIRO
da Folha Online, em Brasíli

Nenhum comentário:

Postar um comentário